A doença e a morte de Bob Marley

Diagnosticado com um melanoma lentiginoso acral, na unha do dedão do pé, Bob foi aconselhado a amputar o dedo, porém recusou-se devido à sua filosofia rastafári, que não permite modificar o corpo.

“O cancro espalhou-se para o cérebro, o pulmão e o estômago.

Ele lutou contra a doença durante oito meses e faleceu em 11 de maio de 1981

A DESCOBERTA DO CANCRO E A BATALHA CONTRA A DOENÇA

“Love would never leave us alone”

Bob Marley, em trecho na canção ‘Could You Be Loved’

 “O amor nunca nos deixaria sozinhos”

Diagnóstico

Wikiwand • Após a tournée europeia, com uma vasta agenda marcada, Bob Marley e a banda partiram para os Estados Unidos, quando fizeram dois shows no Madison Square Garden.

Durante a segunda apresentação, Bob passou mal no palco e começou a ser averiguado o que se passava com o ídolo do reggae. 

Bob, embora com problemas de saúde, chegou a fazer ainda mais um show em Pittsburgh, no dia 23 de setembro de 1980 (último show de Bob Marley), mas logo o mundo recebeu a triste notícia de que o astro do reggae sofria de uma espécie de cancro de pele chamado melanoma lentiginoso acral, um dos vários tipos de melanoma, que se desenvolveu na unha do dedão do pé.

Os médicos aconselharam-no a amputar o dedo, porém Marley recusou-se a fazê-lo devido à sua filosofia rastafári, de que o corpo é um templo que ninguém pode modificar (motivo pelos quais os rastas deixam crescer a barba e os dreadlocks).

Ele também estava preocupado com o impacto da operação em sua dança; a amputação afetaria profundamente sua carreira no momento em que se encontrava no auge.

“Don’t gain the world and lose your soul. Wisdom is better than silver and gold”

Bob Marley, em trecho na canção ‘Zion Train’

“Não ganhe o mundo e perca sua alma. A sabedoria é melhor do que prata e ouro”

“Every man gotta right to decide his own destiny”

Bob Marley, em trecho na canção ‘Zimbabwe’

“Todo homem tem o direito de decidir seu próprio destino”

Colapso e tratamento

O cancro espalhou-se para o cérebro, o pulmão e o estômago. Ele lutou contra a doença durante oito meses buscando tratamento na clínica do Dr. Joseph Issels na Alemanha, no final de 1980 e início de 1981.

Durante algum tempo, o estado de Marley parecia ter se estabilizado com o tratamento naturalista do médico alemão.

Estátua de Bob Marley em Kingston

Morte

Em maio de 1981, quando o Dr. Joseph Issels anuncia que nada mais poderia ser feito, Bob Marley já abatido pela doença, resolveu retornar para sua casa na Jamaica para passar seus últimos dias junto à família e amigos. 

Ele não conseguiu completar a viagem, tendo que ser internado em um hospital de Miami. Faleceu pouco antes do meio-dia de 11 de maio de 1981, menos de 40 horas depois de deixar a Alemanha.

“I’ve been here before and will come again”

Bob Marley

“Já estive aqui antes e voltarei”

Uma multidão acompanhou o funeral de Bob Marley na Jamaica, em 1981

“Live for yourself and you will live in vain; live for others, and you will live again”

Bob Marley, em trecho na canção ‘Pass it on’

“Viva para si mesmo e você viverá em vão; viva para os outros e você viverá novamente”

Controvérsia sobre o local do túmulo

Em janeiro de 2005, foi divulgado que Rita Marley estava a planear exumar os restos de Bob Marley e enterrá-los em Shashamane, Etiópia. Ao anunciar sua decisão, Rita afirmou que “toda a vida do Bob foi centrada em África, não na Jamaica”, e a comemoração do aniversário de Bob em 6 de fevereiro de 2005 foi celebrada em Shashamane pela primeira vez, pois, antes todas as outras haviam sido realizadas na Jamaica.[18] Os jamaicanos foram amplamente contra a proposta, e o corpo Marley, continua na Jamaica.

A vida e a obra de Bob Marley, entraram para a História da Humanidade
Mausoléu onde está enterrado Bob Marley, em Nine Mile, na Jamaica

“Love the life you live, live the life you love”

Bob Marley

“Ame a vida que você vive, viva a vida que você ama”